segunda-feira, 30 de setembro de 2013

Leilão do Campo de Libra, o assalto do século

Outubro de 2013 certamente será o mês que entrará para a história da rapinagem do patrimônio da nação brasileira. Acredito que o leilão do pré-sal do Campo de Libra, será, depois do "descobrimento" o maior roubo da história de nosso rico Brasil; gerações serão sacrificadas por conta da gula de governantes focados em obter dinheiro rápido para alimentar o superávit primário, visando amortizar os juros da Dívida.

Em recente audiência pública conjunta, as Comissões de Assuntos Econômicos (CAE) ouviram dois especialistas em exploração de petróleo, que trouxeram argumentos favoráveis ao cancelamento do mega leilão do Campo de Libra previsto para este mês.

Foi abordado na audiência desde o software OpenWells utilizado pela Petrobrás para a compilação de dados geológicos pertencente à Landmark; empresa que faz parte do conglomerado de empresas Halliburton, com atuação na produção de petróleo e na indústria bélica e teve forte participação na guerra do Iraque, chegando à Convenção Internacional de Direitos do Mar que prevê zona econômica exclusiva até 200 milhas.

Os EUA não são signatários da Convenção, pois aceita somente 12 milhas de exclusividade, o que coloca a reserva do pré-sal do Campo de Libra em águas internacionais. Sobre, é importante lembrar a reativação pós-hibernação de 58 anos da 4ª Frota da Marinha Americana ocorrida durante o governo de Bush júnior; certamente, após confirmado as pesquisas dessa mega área petrolífera. Pelo fato do Campo de Libra se localizar bem acima dessas 12 milhas, talvez seja esse o real motivo da não participação de empresas estadunidenses no leilão; embora não possamos ignorar seus braços europeus que funcionariam como cortina por conta da recente espionagem na Petrobrás.
4ª Frota Americana


O petróleo encontrado no Campo de Libra é estimado como sendo a maior reserva descoberta nos últimos 20 anos em todo o mundo. Calcula-se que a produção poderá atingir o ápice de 300 bilhões de barris. Recursos que serviriam a três gerações de brasileiros. O Campo de Libra poderia ser declarado área estratégica pelo governo conforme prevê a Lei Nº 12.531. Se isso ocorresse a União poderia contratar diretamente a Petrobrás, dessa forma estaria garantido o futuro de gerações. Mas cadê a coragem para enfrentamento das forças nem tão ocultas que certa vez acusou o ex-presidente Getúlio Vargas?

Um comentário:

Fernando "de La Mancha" Magno disse...

Como ninguém ainda postou comentários... Para os mais ligados à teoria da conspiração vale pesquisar sobre o sumiço de quatro notebooks pertencentes a Petrobrás.