segunda-feira, 10 de agosto de 2009

Espelho quebrado

Culpamos o mundo, o destino e até mesmo as Escrituras, mas esquecemos do principal culpado por nossos fracassos: o reflexo do espelho. Domingo (09), ao descer da região serrana, como de costume, mais um veiculo cortou reto na curva e despencou com sua carga, numa, das muitas ribanceiras da BR-262, e também como de costume, lá estavam os saqueadores de cargas.

Incrível como existem felizes com a desgraça alheia. Em julho, também na BR-262, na altura da ponte sobre o Rio Cavalo, próximo a Pedra azul, também observei o saque da carga de um caminhão; e o mais absurdo: o riso bestial estampado na face dos saqueadores.

Especificamente no saque de domingo, chamou-me a atenção que alguns saqueadores eram pais retornando do almoço comemorativo ao Dias dos Pais nos restaurantes e hotéis da região. Um exemplo e tanto que alguns estavam dando para os filhos que observava o pai herói retornando bandido com a carga roubada.

Depois culpamos os políticos, o tal Sistema, sem enxergar o reflexo do espelho.

quinta-feira, 6 de agosto de 2009

Rastreando o boi para salvar o planeta

A queda no preço interno da carne bovina não é decorrente da crise econômica e sim ambiental. As grandes redes de supermercados, com nota também assinada pela Associação Brasileira de Supermercados (ABRAS), anunciaram a suspensão da compra de produtos bovinos vindos da Amazônia. Segundo foi divulgado pelo Greenpeace, na onda da pressão mundial para combater o desmatamento na Amazônia, o Banco Mundial cancelou um empréstimo concedido ao frigorífico Bertin um dos maiores do Brasil.

O Greenpeace também divulgou que grandes marcas de calçados anunciaram que não comprarão couro oriundo das áreas de desmatamento, dando destaque também para o frigorífico Mafrig, considerado o quarto maior do mundo, que divulgou à fornecedores que não adquirirá animais de áreas desmatadas.

Pelo visto, a queda do preço da carne bovina tem origem a não exigência da certificação dos produtos em nosso comércio interno, ao contrário dos nossos importadores, que por pressão dos clientes lá de fora, fazem exigência da certificação, que se traduz no rastreamento do produto consumido.

O dia em que atingirmos o grau de responsabilidade socioambiental tão necessário no mundo da avalanche tecnológica, exigindo certificação dos produtos consumidos, de forma individual estaremos contribuindo para melhoria da saúde de nosso planeta.