terça-feira, 9 de junho de 2009

Pense... Pensando

O conceito felicidade é muito extenso, admito sua infinidade, tamanho são os sorrisos enxergados no invisível da existência.

No mundo dos bilionários suicidas, também enxergamos o sorriso do andarilho que acaba de ganhar um pastel e um caldo.

A felicidade do andarilho dá quase para tocar seu sentimento, enquanto que ao suicida, só lamentamos o que faríamo$.

A felicidade é meio que invisível. Quem a tem não consegue enxergar, serve apenas de vitrine para os outros; que também não enxergam, apenas competem por instinto, ou será extinto? Embora existam felizes caçadores de felicidade.

Ele quer ser igual a você. Você é igual a quem?

Enquanto que o andarilho, em nosso conceito de sociedade de sucesso, é classificado como infeliz, você se dá conta que um louco está gargalhando na rua feliz, embora você sonhe com o iate que o suicida deixou de se alegrar.

Felicidade é a paz, ou será a guerra que faz a alegria de outros? Há vencidos felizes? Sim, porém também há de existir vitoriosos tristes, embora também acampe a alegria rodeada de tristeza.

A tristeza é o tempero mágico da alegria. Ambas são infinitas no poder, embora permaneçam finitas, já que uma depende da existência da outra, ou seja, mata-se ou ressuscita-se para viver, para depois morrer, e ressurgir novamente.

5 comentários:

Innocent Dream disse...

Para mim, a felicidade existe apenas para fazer frente à tristeza. Só sentimos que éramos felizes quando ela acaba, quando vem a tristeza. Quando a tristeza diminui e conseguimos voltar ao "normal", não percebemos que estamos, novamente, sendo felizes.. Resumindo.. Nunca sentimos, de fato, a felicidade.

Mauro disse...

Não se conceitua a felicidade nem a tristeza, cada um sabe a intensidade dessa emoção. Mas há de convir que a ignorância mascare o real sentimento. Porém quando conhecem bem a tristeza é comum poder camuflar com diazepínicos e achar que a felicidade não é a ideal. Uma coisa é certa, o ser humano nasce com vocação para ser feliz, talvez o seu semelhante não o ensine como saboreá-la.
Mauro - Morro do Pinto

Alice disse...

Bela reflexão. Geralmente traduzimos a felicidade em momentos/sentimentos de alegria , só que às vezes esquecemos que dom de ser feliz está em nós e que cabe a cada um acioná-la a seu bel prazer.
Há quem diga que é pluma que o vento vai levando, e que tem a vida breve, mas acredito que ela possa ser perene, pois posso estar puto, mas ainda assim feliz(Não estou falando dessas “felicidades” que se compram em livros de auto-ajuda não viu:)). A felicidade existe onde tenha amor. Seja qual a forma de amor...O canto do pássaro na alvorada só é capaz de alegrar o coração de quem ama; para quem não ama pode ser um som perturbador.

Ah, e esse negócio de se ter alegria triste! Tem gente assim né?

Anônimo disse...

Felicidade! O que nos move...O que nos comove...O que nos reabilita para a vida...Contudo, tenho minhas dúvidas se ela existe puramente dentro de nós...Desfaça de seus sentimentos, tristezas, crenças, comportamentos, valores, emoçoes, depressoes, ditames da sociedade, alegrias (falsas), raiva, ódio, ressentimento, mágoas, arrependimentos, passado, futuro, e busque o amor...aí está a felicidade...O homem foi feito somente para amar, mas...

ricardo haddad disse...

Uma bela reflexão. E corrobora o pensamento de Deus quando esteve aqui na Terra das criaturas que querem se apropriar da condição de humanos. Em vários aspectos essa parte do sentimentos que oram se traduzem como tristeza ora demonstram uma alegria e de certa forma em determinado momento um estado de "felicidade" vai estar sempre condicionado a uma interpretação subjetiva, quer dizer, pessoal. Essas particularidades da alma sempre vão trazer essa condição de pêndulo oque pra um e bom pra outro pode não significar nada senão ser motivo de contrariedade. Em algumas corrente de pensamentos chamamos essa lei universal e necessária como
"Lei das analogias dos Contrários" e ela serve para nos balizarmos no seguinte. Enquanto buscarmos essa liberdade que seria o principio gerador da felicidade nunca encontraremos. Nem quando ficarmos alegres com nossa consciência, nem com nossas conquistas levadas a termo para a nossa felicidade. Enfim acho que Jesus deu a todos uma grande chance quando nos exortou a amar, o amor é a força geradora de todas as outras e quando aprendermos a usar ficaremos estupefatos com a visão de como realmente Deus nos amou de tal maneira, que deu seu filho unigênito para que nos libertasse de nossos pactos propiciatórios.....